CONVERSA DANÇADA

PROTAGONISMOS DISSIDENTES: quais corporeidades têm movimentado as artes do corpo no Brasil contemporâneo?

Por meio da perspectiva decolonial, vamos abrir o debate crítico acerca das formas pelas quais as artes do corpo brasileiras têm se apresentado nas últimas décadas, com especial enfoque sobre o protagonismo de corpos e corpas marginalizades pela norma hegemônica.

A partir desta proposição de Daniel Colin, pretendemos, a cada encontro, revisitar o tema abrindo novas perspectivas.

Brunno Martins_Gira Dança _ Proibido Elefantes (5).jpg

 13/11 sábado 21h 

GIRADANÇA (RN)

local: Casa de Ensaio​

​A Giradança abre um bate-papo após a apresentação do espetáculo Proibido Elefantes onde aborda entre outros temas a formação do grupo e dos seus integrantes. A companhia de Natal é uma referência na dança brasileira quando se trata da diversidade de corpos.  “Somos artistas periféricos, nordestinos, com uma vasta variedade de biótipos, somos pessoas, com e sem deficiência, coabitando os mesmos lugares físicos e ideológicos”, afirma Alexandre Américo, diretor da Cia.

20201116_raquel-ramos_0860_gusta-photo.jpg

 16/11 terça 19h 

(GMT -4 / fuso horário Campo Grande MS)

DANIEL COLIN (RS)

ao vivo / virtual

Acessar aqui a plataforma Zoom

Daniel Colin é Doutor em Teatro (UDESC), Mestre e Bacharel em Artes Cênicas (UFRGS). Integrante-fundador do Teatro Sarcáustico (Porto Alegre/RS) desde 2004 e Professor Convidado da Pós-Graduação Lato Sensu/Especialização - Artes Cênicas (CENSUPEG). Vencedor de mais de 20 prêmios em várias categorias, atua como diretor, dramaturgo, performer, ator e professor há 20 anos. Sua pesquisa teórico-prática atual intersecciona determinadas práxis das artes do corpo com a perspectiva decolonial e com estudos de gêneros e sexualidades.

p ue 2.jpg

ALICE YURA

ROger Pacheco

ROGER

PACHECO

Gustav Courbet

GUSTAV COURBET

20201116_raquel-ramos_0879_gusta-photo.jpg

DANIEL COLIN

 17/11 quarta 19h30 

(GMT -4 / fuso horário Campo Grande MS)

mediação Daniel Colin (RS)

mesa Gustav Courbet, Alice Yura e Roger Pacheco

 

ao vivo / virtual

Acessar aqui o link do encontro

Alice Yura

Nasceu em 1990, Aparecida do Taboado - MS; vive e trabalha em trânsito entre a cidade natal, Campo Grande (MS) e São Paulo (SP) e articulações no meio digital. Cursou e finalizou artes visuais pela UFMS em 2011 e, desde sua formação acadêmica até hoje o foco da sua pesquisa é em arte e vida com isso, seus trabalhos tem forte ligação biográfica relacionando memória, afeto, corpo, identidade, alteridade, biologia, política, sociedade e cultura.

Gustav Courbet

Multiartista, educadora, preparadora corporal e ativista das causas de gênero, cor e diversidade de corpos. Gustav vem lutando para quebrar barreiras e estereótipos através de sua arte e militância. Dançarina e atriz na Cia Dança sem Fronteiras e Cia Intenso de Teatro, também  educadora em diversas ONGs e Centros de Acolhimento para crianças e adolescentes em situação de  vulnerabilidade social nas periferias de São Paulo. Gustav usa das linguagens artísticas e das Vertentes do  Hip Hop, Contemporâneo, Dança Afro e Dança Teatro para aproximar diferentes públicos, promovendo a acessibilidade, empoderamento, pertencimento, além de desmistificar questões sobre o corpo trans, gordo e fora dos padrões nas artes e na sociedade.

Roger Pacheco

É formado em educação física pela universidade UNIGRAN Capital em 2017. Iniciou sua trajetória na dança em 2006 em projetos sociais realizados pela Fundação de Cultura de MS, que levava cultura e esportes para as periferias da capital. Bailarino da Cia Dançurbana por 10 anos. Atualmente é professor da Rede Solidária, um projeto social idealizado e financiado pelo Governo do estado. Diretor e Coreógrafo dos grupos Conexão Urbana, Movimento de Rua, Cia Canindé e House of Hands Up.

20201116_raquel-ramos_0879_gusta-photo.jpg

DANIEL COLIN

Graciela Chamorro por Xosé Abad.jpg

GRACIELA CHAMORRO

Preto-Amparo-Dramaturgo-e-ator_crédito-Antônio-Cardoso-1024x683.jpg

PRETO AMPARO

Soraya Portela

SORAYA PORTELA

 18/11 quinta 19h30 

(GMT -4 / fuso horário Campo Grande MS)

mediação Daniel Colin (RS)

mesa Preto Amparo (MG), Graciela Chamorro (MS), Soraya Portela (PI)

 

ao vivo / virtual

Acessar aqui o link do encontro

Graciela Chamorro

É uma das referências nos estudos sobre os povos falantes de línguas guarani, com uma vasta produção em livros, artigos, exposições e outras performances artísticas sobre a história, cosmologia e língua desses povos. É doutora em Teologia pela Escola Superior de Teologia, de São Leopoldo/RS, e em Filosofia, pela Philipps Universitat, de Marburg Alemanha, e desde 1983 mantém contato com os povos Guarani e Kaiowá de Mato Grosso do Sul.

Preto Amparo

É ator, diretor, iluminador teatral e pesquisador de arte marginal e dramaturgia negra. Natural de Patrocínio/MG, cursou a graduação em teatro na UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais, e atualmente cursa bacharelado em  Humanidades na UNILAB - Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afrobrasileira.

Soraya Portella

Artista da cena, pesquisadora e educadora. Investiga práticas colaborativas com foco na criação, curadoria, gestão e processos educacionais em dança alinhados à noção de comunidade. Pós-graduação em estudos contemporâneos em dança (UFBA 2019). Graduação em Educação Física (UESPI) e em Pedagogia pela Uninter (em fase de conclusão). Integrou o Núcleo do Dirceu/Galpão do Dirceu entre 2006 e 2016. É co-criadora do @Canteiroteresina –  plataforma multidisciplinar de criação e articulação de ações culturais.