image_6483441(1).JPG
 ícones CERRADO-22.png
1/3

fotos: divulgação

FLASH MOB

Hands Up (MS)

19/nov, sexta, 19h

Parque das Nações Indígenas

 L 

O grupo Hands Up MS surgiu em 2016 com a idealização de um coletivo de bailarinos que buscam a representatividade artística, dentro do nosso estado, por meio de grupos de estudos e performances com o intuito de fomentar uma das vertentes das Danças Urbanas mais aclamadas pelo público LGBTQIA+ mundial: o voguing. A cultura Voguing surgiu na década de 80 tendo sido criado pelas comunidades negro latina periférica através de manifestações artísticas e sociais de grande visibilidade que tem como raiz a militância e defesa das minorias dentro de espaços públicos, atualmente tendo o objetivo principal o confronto ao preconceito presente contra minorias intituladas da sociedade, principalmente, quanto às questões LGBTQIA + de gênero e raça.
 

O Hands Up MS surge como o primeiro grupo ou House que defende e veste a camisa da comunidade LGBTQIA +  assumidamente, tornando-se   assim uma referência e representatividade em nosso estado dentro de nossa área. O Mesmo é o desdobramento do grupo brasiliense chamado Hands Up, que já existe a uma década em Brasília - DF, e tem como Diretora Eduarda Kona Zion (DF) Professora, coreógrafa e pesquisadora de voguing, recentemente nomeada representante mother brasileira da House of Zion de New York. Desta forma, também é coordenadora /criadora do “Voguing Brasil” o maior grupo de estudo do âmbito no Brasil, atraindo ainda mais o público e abrindo as portas do conhecimento artístico permitindo a inclusão social.


Representando o Hands Up MS temos como líder Roger Pacheco atuante na área da dança desde 2006, graduado em educação física pela Universidade Unigran Capital, intérprete criador da Cia Dançurbana desde 2008, atualmente diretor e Coreógrafo dos grupos: Movimento de Rua, Conexão Urbana, Cia Canindé e House of Hands Up Ms.  fomos apadrinhados por Kona Zion, onde através de toda sua experiência, relevância e representatividade na cena com a cultura voguing e das Ballrooms, auxília e trilha caminhos lado a lado com o grupo. Nosso quadro de bailarinos representa, em singularidades, diversas minorias sociais, trazendo maior impacto e melhor visualização do que é inclusão social, e de como está sendo permitida por meio da arte, militância e conhecimento histórico propalando a conscientização da sociedade.


O Hands Up MS veio conquistando espaço através do trabalho realizado em cima das vertentes artísticas aludindo sobre a cultura Voguing, a luta contra o preconceito, e aumentando a representatividade LGBTQIA+, mostrando seu diferencial, sua pesquisa e qualidade nos projetos desenvolvidos em cima de uma vertente que nos representa, e representa nossa luta.