dia 25/ago

quinta, 18h30

AUDITÓRIO DO MARCO

Exibição

GINGA DOCUMENTA:

Cultura Bovina em Trânsito

Helton Perez | MS

 

Em 2009 a Ginga Cia de Dança foi selecionada para participar do Palco Giratório, que possibilitou levar sua útlima obra, o espetáculo Cultura Bovina? a 31 municípios brasileiros. Pela primeira vez Mato Grosso do Sul e uma companhia de dança contemporânea do Estado participa deste circuito do departamento nacional do SESC (Serviço Nacional do Comércio), já reconhecido nacionalmente pela qualidade das apresentações das artes cênicas que circula.

Foi a partir deste evento, e do intuito de registrar e divulgar histórias de uma companhia que atua há 24 anos (motivações, histórias de vida e cotidiano de labor), que o GINGA DOCUMENTA - CULTURA BOVINA EM TRÂNSITO foi concebido. Um documentário que dá continuidade ao descolamento territorial da Companhia (com filmagens feitas em Pernambuco, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul) metaforizando-o em trânsito de pontos de vista, realidades, reflexões a partir de um espetáculo cuja analogia, a princípio, diz sobre uma realidade particular de bases de poderes regionais.

FICHA TÉCNICA

Duração aproximada: 45min

Gênero: documentário

Idioma: português

DIreção: Helton Pérez

Equipe: Luiza Rosa, Paula Bueno e Yan Chaparro

Produção: Vaca Azul e Buennas

Campo Grande | MS | Brasil | 2010

 

Sobre a Ginga Cia de Dança

 

A Ginga é a companhia mais longeva de Mato Grosso do Sul, ainda em exercício.
Foi criada em 1986, época áurea da Jazz Dance, estilo que deu origem à maioria das suas coreografias. Foi uma assídua frequentadora de festivais competitivos. Em 1998, Chico Neller, seu diretor e coreógrafo ganhou o prêmio de melhor coreografia do Festival de Dança de Joinville.


A partir daí, passou a criar espetáculos completos, buscando construir identidade própria, por meio da abordagem de temas locais. Seu primeiro espetáculo foi "Conceição de todos os bugres" trabalho sobre a trajetória da artista Conceição dos Bugres e para esta criação, convidou o renomado coreógrafo argentino, Luis Arrieta. Nos anos seguintes produziu criações autorais, principalmente de Chico Neller. Foi a primeira cia de dança do estado a circular pelo projeto Palco Giratório do SESC, em 2009, com o espetáculo "Cultura Bovina?" que gerou um documentário a ser exibido na abertura da mostra.


Em 2016, completou em 1° de maio, 30 anos de atividades ininterruptas. Seu mais recente trabalho, "Se você me olhasse nos olhos" reúne intérpretes criadores de outras companhias, da Cia Dançurbana e do Conectivo Corpomancia, especialmente, e foi uma nova experiência de criação, por meio de oficinas de improvisação, orientadas por Renata Leoni, ex-bailarina e atual co-diretora da Cia.

Sobre a Helton Pérez

 

Produtor audiovisual, fotógrafo e ilustrador, trabalha há dez anos essencialmente com o segmento artístico. Atua como diretor independente em trabalhos de ficção e documentário, além de desenvolver trabalhos com grupos de dança, teatro e música através da produtora Vaca Azul.